domingo, outubro 26, 2008

Série de Entrevistas - Rodrigo Felix

Começando essa série de entrevistas com jogadores que passaram pelo futebol catarinense. O primeiro a ser sabatinado, no bom sentido, é o jogador Rodrigo Felix, com passagem pelo Avaí em 2007. Ele joga atualmente em Portugal e o nosso papo foi via email. A próxima entrevista já está em andamento. Deve entrar no próximo final de semana. Nem sei como tive essa idéia, mas é capaz que outros blogs passem a copiar. Espero que gostem.

Papo Catarinense - Como é o seu clube em Portugal?
Rodrigo Felix - O clube tem uma estrutura boa e dá uma condição boa para todos trabalharem. É um clube pequeno que a 2 anos vem subindo de divisão e aos poucos está crescendo. É bem organizado, porém sofre com a falta de patrocínio, conta apenas com empresas da região para bancar as dispesas mensais. Mais o clube em si é bom para se trabalhar e não falta nada para os jogadores.

PC - Que divisão jogo o teu clube?
RF
- O Alcanenense joga a Divisao de Honra, é uma divisão acima da 1ª divisão regional. Quem for campeão da Divisão de Honra, sobe para a 3ª divisão do NACIONAL.

PC = Qual o tempo de contrato?
RF
= 1 temporada. Termina em maio de 2009.

PC - O lado financeiro também te incentivou a partir para esse experiência em Portugal?
RF
- Não. Eu tinha feito um bom Campeonato Candango (Brasília) e terminei como artilheiro do time (Ceilândia) e vice artilheiro do campeonato e logo após fui para o Brasiliense onde não tive muitas chances para jogar. Nunca comecei uma partida como titular, ia no banco nos jogos e em alguns entrava e outros não. Com a falta de chance pedi minha liberação para sair e ir para outro clube, porém a liberação demorou para sair devido a parte financeira que não chegamos a um acordo. No final das contas me deram a liberação no limite para terminar a inscrição de transferência de jogadores para o exterior. Es que surge o convite do Alcanenense, salário muito abaixo do que ganhei nos times do Brasil, porém uma pessoa em Brasília conhecida de um tio meu (não sei ainda porque) está bancando meu salário. Juntando as duas partes é um salário que times que estão jogando a Serie C não pagaria para mim. Mais indenpendente do salário o importante é que estamos felizes, com paz e muita saúde.

PC - Já há propostas de sair para algum clube de mais expressão?
RF
= No momento não, estou em Portugal tem pouco mais de 2 meses.

PC - Tem planos para voltar a jogar no Brasil?
RF
= Apesar do pouco tempo que estou em Portugal, estou gostando de jogar aqui. É um futebol mais pegado, futebol mais corrido e com isso vou me adaptando ao futebol europeu e por enquanto não penso em voltar para o Brasil.

PC - Tua família se adaptou bem em Portugal?
RC
= O único "problema" foi em relação a comida, pois nos primeiros dias minha esposa estranhou um pouco. Ela sentiu a falta do feijão e o óleo de cozinha. Aqui até tem feijão, mais é diferente do que tem no Brasil. "Sofremos" um pouco com o inverno que ja chegou, mais isso é de menos.

PC - Há mais jogadores brasileiros no teu clube?
RF
= Sim, são 6 Brasileiros ao todo, 3 no profissional (contando comigo) e 3 na equipe juniores.

PC - A estrutura do teu clube tu comparas com a de algum time que tenhas jogado no Brasil?
RF
= Paysandu.

PC -O foco do blog é o futebol catarinense, fale um pouco de como foi sua passagem pelo Avaí?
RF
= Cheguei para o Avaí no começo de temporada de 2007. Depois tive que voltar em Belém para resolver minha liberação do Paysandu e com isso não conseguir fazer a pré-temporada completa e isso me atrapalhou no começo do Catarinense. Após algumas rodadas conseguir me igualar aos demais na parte física. Comecei o Catarinense entrando no decorrer das partidas, todas as partidas entrava, até joguei algumas partidas como titular, mais nunca tinha um sequencia de jogos assim como os jogadores experientes que não vinham jogando bem mais sempre tinham outras e outras oportunidades. Faltando 1 semana para a estréia da Serie B machuquei o adutor esquerdo e com isso fiquei um bom tempo em tratamento. Quando sair do tratamento para voltar a treinar separado para readiquirir a forma física me falaram que o treinador não queria minha permanência no elenco, foi ai que fui emprestado para o Noroeste e voltei no final de outubro para o Avaí, joguei a Copa Santa Catarina e em dezembro acabou meu contrato.

PC - Ainda tem amigos no clube?
RF
= Sim, Marcus Vinícius, Evando, Ferdinando entre outros..

PC - O time está perto de conseguir o acesso para a Série A, seria uma boa voltar pro time no próximo ano?
RF
= Isso é verdade, estou acompanhando a Serie B aqui em Portugal e estou torcendo muito para o Avaí subir, pois acima de tudo vejo o esforço do Zunino com o Avaí. Uma boa seria, mais a volta em um momento desse fica muito difícil, pois irão renovar com os jogadores que fizeram a boa campanha e irão contratar jogadores experientes em serie A. Mais é claro que não descarto um telefonema do Zunino (Risos).

PC - Deixe uma mensagem pros nossos leitores.
RF
= Espero que gostem da entrevista e através do meu site (clique aqui) acompanhem minha carreira mais de perto.


Crédito de Fotos
Fotos do site do jogador Rodrigo Felix

4 comentários:

Alexandre Gonçalves disse...

Legal, Jorge. Conteúdo exclusivo no blog é um diferencial interessante e mostra que não tás nessa só pra opinar, rotear ou replicar. Bom foco (e ótima foto, grande sacada).

E reparasse que no site só dá o Felix -- bom jogador, aliás -- aparece com camisa do Avaí? Bom negócio no momento (inticada, de leva).

Felipe disse...

Coisa linda!!!
Muito boa a ideia!!!
Legal ver ex-jogadores dos nossos clubes opinando e contado mais do Futebol no mundo.
As vezes ficamos aqui "bitolados" como o cenário Catarinense, Nacional e o TOP Internacional.
Conehcer mais sobre as ligas e estruturas de times mais inferiores no exterior da uma boa base de comparação para saber como anda a estrutura dos nossos times aqui!!
Amplexos

Castiel disse...

Muito boa a idéia das entrevistas, estou de olho nas próximas, bela sacada

Anônimo disse...

Obrigado por intiresnuyu iformatsiyu