quinta-feira, abril 30, 2009

Memória - Rogério Ávila, do Avaí

Rogério foi meu professor no mundo do futebol

Em pé, da esquerda para a direita: Deodato, Joceli, Nelinho, Ravales, Valter, Gilberto e Moenda. Agachados: mascote, Reginaldo, Rogério Ávila, Bo, César e Torquato.

Rogério Ávila. Os mais antigos torcedores avaianos certamente se lembram dele. Era um volante raçudo, talvez um pouco malino, mas sempre jogou com muita raça. Foi um dos jogadores que mais vestiu a camisa do Avaí. Atuou pelo leão em 365 jogos, de 1963 até 1975. Jogou também no Grêmio e no Marcílio Dias, quase foi para a Portuguesa. Digo isso porque fui um dos seus alunos na escolinha que ele mantinha no Santa Mônica, no campo de areia da Acojar. Bateu saudade.

Vi essa foto no blog do Polidoro Jr e senti a nostalgia do dia 30 de junho, um dia após o meu aniversário, de 94, dia que meu pai pegou o dinheiro que minha vó me deu e me levou para começar a minha carreira no futebol. Era época de Copa do Mundo, um amigo meu já treinava lá. Acho que foi a única vez que meu pai me viu jogar, acho. Cheguei sem saber que posição ia jogar. Rogério e meu pai conversaram, daí o meu pai - Vai pra lateral-direita. Se forem substituir alguém não vai ser tu.
Num dos meus poucos lances no jogo, já que fiquei travado e só pensando em marcar, acertei um chute no canto esquerdo do goleiro, rasteirinho, uma bomba, que o goleiro defendeu e colocou pra escanteio. Nesse lance acho que o meu pai achou que faria fortuna com o filho jogador.

Não sei ao certo quanto tempo aprendi com ele, já que sai por um período e retornei depois. Fui capitão do time dos médios, já como zagueiro, fazendo gol de cabeça em escanteios nos jogos de sábado. Sábado era sempre jogo, nada de treino. Aliás, o treino era de profissional. 100% fisico. Nem com a raça pedindo, mesmo pagando mensalidade, ele dava refresco. Aí, lá pelas 11h ele liberava a bola pro chute a gol.

Da escolinha alguns jogadores poderiam estar em grandes clubes hoje, mas a maioria não aguentou o tranco de ficar longe de casa. Grêmio e Vitória são alguns dos clubes que o Rogério encaminhou seus pupilos. Nunca entrei nessa lista, mas os outros ensinamentos dele me valeram mais. Não bebe, não fuma e não se droga. Hoje eu bebo, mas muitos ex-colegas foram fundo nas drogas e um foi morto por causa disso (segunda matéria).

Na foto, dia de clássico no Adolfo Konder. Rogério era o capitão do Avaí. Foi expulso quatro vezes em clássicos.

Eu soube da morte dele muito depois de ter acontecido. Foi via coluna do Roberto Alves. Senti uma tristeza tão grande, principalmente por não ter externado tudo que ele me ensinou. Hoje diria muito mais, já que os ensinamentos dele eu quero passar para o meu filho.

Crédito de Foto
Foto 1 de Gilberto Silveira
Foto 2 do blog do Roberto Alves

7 comentários:

Artur de Bem disse...

Então pra animar um pouco, conto um causo de um músico do Número Baixo, que toca rebolo. Não quero ficar citando nomes, é mal.

Ele ganhou uns 10 poster dos campeões brasileiros de 1990 até 2000. Não sei bem a data, mas foi por aí.

Ae um dia desses quando outro músico do grupo, que toca tantã (não vou ficar citando nomes), apareceu na casa dele, o reboleiro foi logo contanto, entusiasmado:

(os nomes foram alterados porque eu não conheço porra nenhuma de futebol, só pra ilustrar)
"Olha só. Ganhei isso aqui. Po, tava analisando: O Edmundo joga muito. Foi campeão brasileiro pelo Palmeiras em 92, 93, pelo Vasco em 97. O Sávio foi campeão pelo Flamengo em 91, pelo Santos em 95. Mas o melhor de todos esses é esse aqui ó... foi campeão em todos os anos: Agachado! Mas eu não encontro ele nas fotos!"

Reza a lenda que isso é verdade. E eu não duvido!

Felipe Matos disse...

Post emocionante!

Anônimo disse...

Bom dia Jorge,

Meu nome é Eduardo Rebelo, e tambem participei por muitos anos da escolinha do Rogerio, que iniciou no campo em frente ao shopping Iguatemi e depois passou para a Acojar. Depois de ler a sua rezenha sobre a vida do meu idolo no futebol, tambem chorei, isso por que conhecia muito o Rogerio.Fui o primeiro aluno a ser inscrito na escolinha, ele tinha muito orgulho de falar isso. Outro marco, é que no dia da inauguração da escolinha, foi o dia do meu aniversario. 22/02/2000.

Rogerio foi uma pessoa marcante na minha vida., acredito que na de todos que conviveram com ele. Aproveito para deixa registrado tambem, que tive realizando testes no Gremio de Porto Alegre, mais infelizmente nao ocorreu tudo certo e retornei para a Ilha da Magia.hhehehehehe, pelo um lado, foi bom...

Abração e até a proxima.

Eduardo Rebelo

NÉIA disse...

OBRIGADA PELO CARINHO DE VOCÊS PELO MEU PAI.REALMENTE ELE ERA UM GRANDE TREINADOR MAIS PENA QUE DEUS O QUIS ANTES E MUITO CEDO. HOJE SÃO APENAS SAUDADES...MAIS FIQUEI MUITO FELIZ EM SABER QUE FIZERAM UM BLOG PARA FALAR SOBRE O GRANDE HOMEM QUE ELE ERA.QUERO AGRADECER AO DUDU (EDUARDO)POIS REALMENTE O PAI FALAVA DE BOCA CHEIA Q ELE FOI O PRIMEIRO ALUNO DA ESCOLINHA. BJOS A TODOS!! SOU A FILHA DO ROGÉRIO NÉIA AVILA

letdst1 disse...

Poxa, muito legal ver isso...Estava de bobeira na net e resolvi buscar o nome do meu tio...
Gostaria de DIVIVIR que, além de um excelente jogador e atleta foi sem dúvida um grande amigo e o tio mais iradooo. ELE ME ENSINOU A NADAR : ) LETÍCIA

Anônimo disse...

Olá amigos!

Conheci a Escolinha do Rogério, graças ao meu pai, que também jogou com ele no AVAI. Nessa época eu jogava no time da VILA (do saco grande). Acabei entrando na escolinha e levando quase todo o time da vila pra jogar lá. Os jogadores que foram participar da escolinha foram: Marcelo folha (zagueiro) junto comigo na zaga, Jafa (na meia) Humberto (goleiro), Rafael Martins (cabeça de área), Patrick (zagueiro que me substituia quando machucado) e Rafael Galego (centro-avante). Alguns desse time fizeram teste no grêmio, eu n tive a oportunidade porque esta machucado. Fui saber do falecimento do Rogério (capital) algum tempo depois, e fiquei frustado por ele n ter recebido uma homenagem do AVAI. Tinha uma frase dele que antes do treino ele falava pra todos no vestiário: "A bola tem que ser pra vocês como um prato de comida". Ele gostava muita da minha raça, sendo que na zaga eu era o que chegava primeiro no combate e o Folha como mais habilidoso, ficava na sobra e distribuia a jogada. O gol mais impressionante que fiz, foi no campo da gruta, que peguei a bola, atráves de um carrinho na linha de escanteio do meu campo e fui com ela até fazer o gol, driblando meio time. Foi um gol que guardo até hoje e que foi de muita raça, atribuida ao mestre Rógerio. Jogamos um unico torneio, que ganhamos por 2x0 (gols de Jafa e o matador Galego, que hoje é profisional na Turquia ou DInamarca, ou sei lá onde ele parou). O avante de Santo Antonio era nosso fregues já da época do time da Vila. FOi uma grande época para a formação de nossos caráteres, e o Rogério fez parte disso. Deve estar batendo uma bolinha e dando uns lançamentos que ele sabia fazer em outro plano...que Deus o tenha. E não esquecendo do Carrada (filho do Rogerio) que animava nossos treinos.

ASS: Cleber (conhecido na época como paçoca)
cleberbrasilsc@hotmail.com.br

Anônimo disse...

Bom dia!, chamo-me Ricardo e adorei imenso da tua página! Muito linda sim senhora!
Aplica-se plenamente com tudo aquilo que aqui observei.Existe sempre há tanto que falar nos blogs!Nada nada mais intrigante do que implementar a nossa marca online!e por isso deixei este comentário!
Á semelhança de ti também eu tenho uma comunidade online de poker, aparece por lá e deixa a tua opinião como fiz aqui...adorariamos muito de lá ter um membro como tu....
Bye Bye :)