segunda-feira, junho 22, 2009

Boleiros da Bola - Jogo 10

E ele venceu

Em pé: Lique, Rafael, Alano, Carlos, Fernando Evangelista, Cleber, Fellipe e Padilha. Alongando os glúteos: Filho do Rafael, Scarduelli, Jorge Jr, Paulinho Evangelista, Renan e Pedro

Foram dez jogos, dez sábados seguidos, dez horas de futebol para que o gostinho da vitória, aquele gosto que jamais se esquece, voltasse à boca do Maestro Jorge Jr. A vitória, por incrível que pareça, não foi o mais importante. O Futebol, com caixa alta, classudo, brilhante, genial também voltou.

A partida terminou em 8 a 6 para o time Vermelho. Uma vitória ainda mais valorizada pelo futebol apresentado pelo time Azul. Diferença pequena de gols e times equilibrados, a receita perfeita para um jogo de alto nível.

Vale citar


Padilha, vencedor do jogo 9, deu um lindo lençol em Scarduelli com o lado de fora do pé, desses lances raros de acontecer, e finalizou com um belo gol. Parabéns. Cleber, o rei do balãozinho, tentou fazer mais uma vítima, mas Paulinho Evangelista o agarrou feito um fã do Jonas Brothers evitando o complemento da jogada.

Lindo

Dois gols que merecem título, linha de apoio, intertítulo e link para o vídeo. O Maestro Jorge Jr, no seu primeiro gol, tentou meter entre as pernas de Alano, o mesmo fechou-as e a bola voltou para o pé de quem tanto a ama. Drible para a esquerda, foi o primeiro para trás. Padilha, o próximo, veio no ímpeto de roubar-lhe a bola, ledo engano, pés hábeis e velozes escaparam da falta. Chega o marcador, drible para a esquerda, seco, três já foram. Chega o goleiro, grande, chuteiras e meias novas, medo? Toque de categoria com a canhota e corrida para o abraço. Se comparar o gol do Maestro com o do Nilmar que virou quadro, o do Pai do Théo mereceria uma exposição solo no Louvre.

A segunda obra parece mais com os escritos de Machado de Assis. Paulinho Evangelista bateu o escanteio rasteiro, dentro da área, o Maestro se antecipou ao zagueiro e de Letra, com força, colocou no canto do goleiro Fernando Evangelista. A bola explodiu no seu peito (para amenizar o frango) e ele entrou com bola e tudo.

Lamentável


O estado em que os atletas baladeiros se apresentaram para o certame. Todos com menos de 5 horas dormidas e com 150% de álcool no sangue. Um deles, ao entrar na quadra de óculos escuros, deu um pique se achando o novo Kaká. Outro, que chegou em cima do laço, começou a pedir arrego com dois minutos de jogo e, para variar, alegou lesão na coxa, pisão no dedo, para justificar a fraca exibição.

Notas do jogo

Fernando Evangelista (7, não tomou gol bobos, pegou bem as bombas, mas se esquivou no pênalti)
Carlos (5, forçando a amizade na nota)
Scarduelli (5, precisa de doping)
Paulinho Evangelista (6, tá na média)
Jorge Jr. (9, o 10 ainda está por vir)
Cleber (6, jogou com o short do padre pedófilo)
Fellipe (4, abaixo das capacidades etílicas)
Padilha (7, valeu pelo gol e pela movimentação)
Alano (6, faltou ritmo de jogo, mas soltou a voz a noite)
Pedro (6,75, tá quase obedecendo taticamente)
Renan (7, bem no gol e quando foi pra linha)
Lique (6, jogou simples)
Rafael (7, fez o Fernando sonhar com ele. É o de amarelo na foto)
Fábio Lima (6, não foi, não jogou, mas merece nota. Certamente não seria maior que 6)

Ficha Técnica

Time Vermelho (8)

Renan; Paulinho Evangelista, Scarduelli (Carlos), Jorge Jr, Rafael e

Pedro.

Time Azul (6)

Fernando Evangelista; Cleber, Lique, Padilha, Alano e Fellipe

Gols: dois do Maestro
Cervejas: Uma boa dúzia
Ressacados: três
Doses de Ypióca: Três ou mais

4 comentários:

Anônimo disse...

tudo mentira.
júlio césar

Anônimo disse...

O QUE ANDA ESTRAGANDO AS ATUAÇÕES DO GOLEIRO GRANDALHÃO, SÃO AS DECLARAÇÕES QUE ELE FEZ ANTES DA PARTIDA LEMBRANDO O BUFFON GOLEIRO DA ITÁLIA.

O PROBLEMA DESSES JOGADORES DE VERMELHO OLHANDO A ESCALAÇÃO, FOOI A PRESENÇA DO VENTO NO PEITO DESSES CACHAÇEIROS DE PRIMEIRA VIAGEM!

JOGADOR ANÔNIMO! TO QUASE INDO!


AGORA VOU...FUIIIIIIIIIIIIIII

Anônimo disse...

Até que fim conseguisse uma vitoria. Parabens. bjos mamãe

Sérgio Almeida disse...

Parabéms Jorge pela sua primeira vitória.Foi igual ao nosso querido Avaí,sabíamos todos que essa vitória viria(por estar sempre jogando muito bem)só não quando e onde aconteceria,que seja a primeira de muitas!!
Ao ler o relato do seu primeiro e magnífico gol,lembrei-me do gol de Pelé na rua Javari(segundo ele e muitos o gol mais bonito da sua carreira) que ninguem tem gravado,mas,espero quando você lançar o dvd com seus 1000 gols,faça uma arte gráfica deste gol para que todos possamos admira-lo!!!
Abraço!!!