quarta-feira, julho 01, 2009

Boleiros da Bola - Jogo 12

Nem o frio espantou o bom futebol

Mais um jogo emocionante e cheio de lances magistrais no Boleiros da Bola. O time do Maestro Jorge Jr, o vermelho, venceu por 8 a 7 o time azul, do Cleber. É a segunda vitória seguida do Maestro na competição.

Atacante Desconhecido

Essa faceta ninguém conhecida. Após uma viagem pelo Uzbequistão, o até então zagueiro, Gonzalo surpreendeu com a sua atuação. Foi-se o tempo de professor do Guiñazu e a nova era é a de Kaká no Real Madrid. O novo matador fez cinco, quatro ou talvez seis, sendo um deles, que merece descrição fidedigna, a obra de arte do jogo.

Ronaldo Fenômeno ficou marcado com as arrancadas que dava no Barcelona, isso pelos idos de 95 e 96. Sábado, dia 27, essas arrancadas voltaram a acontecer. MAs uma, a mais veloz delas, ficará eternizadas.

Gonzalo recebeu no campo de defesa, quem lhe passou a bola pouco importa. Domínio com a perna direita. Olha e corre. A pelota passeia entre os dois pés numa explosão de proporções nucleares em seus músculos. O beque, que também deixaremos de lado, passa batido após o drible. O goleiro, aquele velho frangueiro de sempre, sai para dividir. Sem chance. Se estivesse disponível o tira-teima daria pane tamanha velocidade no lance. Eis o gol. Palmas. Comemoração? Um deles foi um Moonwalking.

Duas vitórias

A pecha de pé frio já foi para as cucuias. A segunda vitória no certame, e seguida, coloca o Maestro Jorge Jr como a nova promessa do futebol canarinho. Como com ele em campo não tem placar em branco, guardou mais um rumo ao milésimo. Bola dominada na meiúca, cisca pra lá e pra cá, e dispara o calibre 12 com o peito do pé. Aquele velho goleiro, já citado, nem viu a cor da bola.

Quase gol

Quase. Faltou pouco para sair o gol mais humilhante da história do Boleiros da Bola. O zagueiro Rafael, quando já curtia a onda de atacante, recebeu na cara do gol. O goleiro, que já não era mais o frangueiro, saiu bem, mas tomou um balão clássico, desses que passe rente ao quengo, e ficou vendido. Na conclusão, já com um zagueiro no gol, o Rafael chutou e o beque tirou em cima da linha. Um gol para se lamentar, e muito.

Notas do jogo

Gonzalo (8,5, craque do jogo, partidasso)
Cleber (6, não repetiu as grandes atuações)
Padilha (7, arisco, começou a chutar no gol)
Jorge Jr. (7,5, está melhorando a cada jogo, é igual uva)
Cleber Marcelo (6, impreciso nos passes)
Fernando Evangelista (7, fez o pivô e voltou a se inspirar no Obina)
Renan (7, voltou a fazer grandes defesas)
Rafael (7, não machucou o goleiro)
Alemão (6,5, chegou atrasado)
Philipp (6, sem bola na trave e chegou atrasado)

Sem ficha técnica e foto

2 comentários:

buffon disse...

tudo mentira!
fernando

Gonzalo Nilmar da Silva disse...

Até que enfim a verdade surge! ;-)Alô Avaí, a solução tá aqui! ;-)))