terça-feira, agosto 11, 2009

Massa Bruta azeda o caldo Alvinegro

Bragantino 1 x 0 Figueirense


Não deu. Roberto Fernandes até tentou colocar o time na defesa e explorar os contra-ataques. As duas expulsões, muito contestáveis, de Edson e Rafael Coelho, prejudicaram o treinador. Uma derrota vergonhosa e ele já estaria fora. Mas o time lutou, tentou segurar, mostrou um futebol feio, mas objetivo. O gol, um meio frango do Wilson, sacramentou os três pontos para a equipe paulista.

O time caiu de pé. Coisa que não acontecia há tempos. Jeovânio, o pitbull, não deve mais sair do time. Voltou voando, bem fisicamente e com aquela vontade que todo mundo esperava. Alê, apesar de tudo, não comprometeu. Douglas, sumido e que foi relacionado no último jogo, entrou como titular. É nisso que as críticas aparecem.

O técnico não mantém uma constância, apesar de mostrar que ele conhece bem o elenco. As peças não estão encaixando, e aí nem Deus salva. Hoje, por incrível que pareça, a culpa não é do treinador. Hoje.

Edson foi infantil no amarelo, assim como foi um bebê otário o juiz. Não foi nem falta e ele deu o segundo amarelo. O Rafael Coelho, que a maioria não viu, tentou dar uma cotovelada no cara do Bragantino. Mas o cara nem notou, não parou, não reclamou, e o bandeira viu.

A arbitragem merece uma nota baixa, mas o time também não criou chances claras de gol. Roberto Fernandes está seguro no cargo. D'Ivanenko não falou a frase célebre que derruba treinador - Ele está prestigiado.

Engraçado, mas o Roberto Fernandes, na coletiva, me mostrou mais confiança e segurança do que eu esperava. O apoio, a maneira que ele fala e pede me parece verdadeiro. Eu, apesar de todas as divergências técnicas, ainda acho que não é a hora de trocar de técnico.

- Agora é administrar os problemas - frase que explica bem o jogo desta terça e como será o de sábado, contra o Duque de Caxias.

Crédito de foto
Foto de Rodrigo Lima, Futurapress

Nenhum comentário: