terça-feira, setembro 01, 2009

Boleiros da Bola - Jogo 20


Vigéssimo jogo do Boleiros da Bola. Que marca. Confesso que não esperava por algo tão duradouro e que só está aumentando. Se contarmos o mês com quatro finais de semana, são cinco meses de partidas, 20 horas do mais absoluto futebol arte competitivo. Champions League é para os fracos.

As estreias continuam acontecendo. Andreis Perone foi o novo jogador. Chegou impondo o seu estilo, digamos, Bruno Perone de jogar. Está na lista dos novos reforços do treinador Márcio Gel Araújo.

O Jogo

Os Rédis, comandados por Cleber, vencerem os Bluus por 10 a 5. A falta de poder de reação dos azuis de Palhoça foi fundamental para um placar tão elástico. Os jogadores no banco, dois pra cada lado, acabaram fazendo a diferença, já que a qualidade técnica nas trocas foi fundamental.

Os zagueiros, 75% para a vitória de um time nos Boleiros, estavam em maioria nos Rédis, talvez pela aposta no setor ofensivo dos Bluus. O meiúca-bailarinho Cleber voltou a ser regular e mostrar o futebol que encantou a pacata Divinéia, em Imbituba.

Golaço

Na altura dos 31 minutos, CLeber recebeu na intermediária dos Rédis e observou o goleiro Banko, que mais uma vez mostrou a sua excelente fase, adiantado. Com a ponta da chuteira direita, o popular bico, soltou a canjica em direção à esfera de gomos rumo ao gol dos Bluus. A bola viajou por incríveis dois segundos e vinte milésimos até passar pela mão de Banko e balançar o fundo da roseira azulina. Uma obra parceira, já que para ser prima precisa de exame de DNA.

Retorno


Parecia amor de adolescente, mas finalmente o alquimistas das luvas brancas voltou para o gol do Boleiros da Bola. A volta aos paus (traves) foi consolidada com a vitória dos Rédis, seu time, sobre os Bluus. O grande Fernando Evangelista, que por acaso também é professor do Jorge Jr., esteve em campo durante 49 minutos, sendo substituído pelo seu primo, Paulinho Evangelista, no gol.

O caso de nepotismo ja está sendo investigado.

Poderia ficar horas escrevendo as maravilhas que Fernando fez ao defender o gol dos Rédis, mas prefiro me manter imparcial e comentar fatos menores. Sem muita relevância.

O goleiro pouco defendeu com as mãos, parecia medo. Tirava tudo com o pé. Não estava seguro, talvez pela falta de ritmo de jogo. Incrivelmente, realmente incrível, não tomou nenhum frango, o que é praxe nas suas exibições. A reposição de bola ainda falha, principalmente pelo acuro que as meninas do Sexy Dolls tiveram durante a recuperação do mestre. Julia Paes, a enfermeira mais experiente, fez de tudo para ajudar o goalkepper a segurar melhor as bolas. E disso ela entende.

DieGOL

Felomenal!

Não tivemos coletiva com ele, lamentavelmente. Mas ele deu a volta por cima durante o jogo. Desperdiçou uma penalidade, o que já está virando rotina, colocando a bola na trave. Falhou, e muito, na marcação de um dos gols do Cleber. Mas foi recompensado.

No minuto 41 (?) Diego, o polivalente aprendiz, finalizou de direita e conseguiu, depois de muito tempo, marcar um gol no Boleiros. O gol foi o de menos, já que o jogador explodiu de raiva, emoção, um grito ensurdecedor no Playball, e a comemoração no estilo aviãozinho com a asa caída.

Devagar, devagarinho, ele está melhorando. Esporros ainda estão por vir, mas é sempre pra melhorar.

Notas

Fábio Lima (6,95, quase, quase...)
Richard (6, saiu lesionado, voltou, mas não melhorou)
Lucas (5,5, não é constante durante o jogo)
Cleber do Diário (6,5)
Jorge Jr. (6, pouco inspirado)
Banko (7,5, pegando tudo)
Paulinho Scarduelli (7, driblando muito, marcando gols, voando)
Fernando Evangelista (7, pegou uma meia dúzia de bolas)
Diego (6,5, apesar da falha na marcação, melhorou)
Fellipe (6,5, idem ao Diego)
Padilha (6, jogando abaixo da crítica)
Ricardo (6,5, brigando sozinho, faltou parceiro de ataque)
Andreis Perone (6,5, seguro, tranquilo, grosso, zagueiro)
Pedro (6, reclama mais do que joga, sem falar na indisciplina tática)
Artur (5, totalmente perdido, desafinou o samba)
Carmelo (6,5, jogou pouco, mas fez o de sempre)

Ficha Técnica

Salgadinhos: 4 Pingo d'ouros
Cervejas: 12 +/-
Cachaça: 3 doses de Ypioca Gold
Hora de Saída: 16h35

Crédito de Foto
Fotos de Veridiana Arrieche

Um comentário:

Diego Wendhausen Passos disse...

Como fiquei sem meu micro, acabei não concedendo a coletiva, mas no próximo jogo conversarei com meus amigos super precisos Repórter Boleiros da Bola e Fora da Casinha.
Parece que as baladas estão melhorando meu rendimento, embora tenha meu retrospecto nas cobranças
de pênalti.