domingo, outubro 11, 2009

Boleiros da Bola - Jogo 26


Apesar do excelente preparo físico dos atletas, o sol castigou os corpinhos malhados dos Boleiros da Bola. Com um pouco mais de gás, os Rédis venceram os Bluus, até segunda ordem, por 10 a 6 (falam em 10 a 8, mas dúvido).

O sábado de sol, que rendeu praia para alguns jogadores, também foi a confirmação do Mensal e do aumento no nível familiar do evento. Além dos três fiéis Boleiros, Sarah, Catarina e Davi, dessa vez ainda prestigiaram o jogo o pequeno Théo, a irmã do glorioso Cleber do HoraSC e a primeira dama da publicidade catarinense, namorada do Ricardo.

O Jogo

Com a agilidade de uma tartaruga sem pata, a partida começou com as duas equipes se estudando, trocando passes e sem investir direto em lances agudos de ataque. Os Bluus, aproveitando um descuido da defesa rubra, abriram o placar num lance de grande oportunismo do "matador" Fellipe Nilmaravilha.

O revés no marcador agitou o time colorado. Logo após o tento sofrido a equipe foi ccom tudo para cima do adversário. Logo o empate surgiu e o placar foi engordada para 4 a 1, com destaque para o show de gols perdidos.

Cozinhando o jogo, a equipe da cor do capeta acabou levendo uma sequência de gols bobos, deixando a equipe azul calcinha quase empatar a partida. Mas aí entrou em ação o Maestro. Com uma trivela certeira, rasteira e mortal, marcou mais um e tranqulizou novamente o jogo em favor dos avermelhados.

Destaque para os goleiros

Como o goleiro Diego Veloso São Marcos está em início de carreira, mas mostrando uma evolução assustadora, um revezamento entre ele e Banko, goleiro titular dos Boleiros da Bola, foi feito para dar mais emoção ao jogo. Enquanto defendeu ps Bluus, Diego engoliu frangos, fez poucas defesas e comprometeu. Mas foi chegar ao gol dos Rédis para se destacar.

Banko foi muito bem defendendo os Rédis, mas se destacou mais quando foi para os Bluus. Defesas no reflexo, no alto, no chão e uma visível melhora na reposição de bola.

Paulinho Evangelista e Jorge Jr também defenderam o gol dos vermelhos, sendo que o Maestro utilizou das mãos e sua excelente impulsão para fazer defesas plásticas, mesmo a bola indo a kilometros de distância. De tão bom que é, conseguiu colocar com o olho um chute quase perfeito do canhota Cleber do HoraSC. Um golpe de vista digno de aplauso.

Coletiva

Inovando, ou melhor, com um novo personagem na coletiva do Boleiros da Bola. O craque desta vez é o quase pivô, que joga na frente e marcou três gols no último jogo, Fellipe Nilmaravilha.

Repórter do Boleiros: Qual foi o gol mais bonito que fizeste no jogo?
Fellipe: Não lembro qual deles, mas acho que o terceiro. O Padilha bateu uma falta rapidamente, de esquerda ainda (Padilha é destro), e eu estava mais pro outro lado (na direita, né?). Aí corri meio de lado (como um siri?) e dei um tapa que acabou emcobrindo o goleiro. Não lembro se era o Diego ou o Banko.

Repórter do Boleiros: Qual jogador facilita o teu futebol?
Fellipe: O Padilha - que estrou com a camisa da Seleção Brasileira personalizada. Porque ele quase sempre sabe o lugar que eu vou aperecer no campo. Entende as jogadas que eu quero fazer. Me posiciono no lugar inverso que ele está porque sei que ele vai tocar pra mim. Tanto que fiz três gols com três passes dele.

Repórter do Boleiros: Qual posição do campo tu prefere jogar?
Fellipe: Na frente. Mas não como pivô, e sim aquele que recebe pra finalizar, que corre pra finalizar.

Repórter do Boleiros: Qual o melhor goleiro do Boleiros da Bola?
Fellipe: Banko, com certeza. Mas o diego vem melhorando a cada partida, apesar de alguns frangos tolos.

Repórter do Boleiros: Destaque uma qualidade do teu futebol.
Fellipe: Posicinamento nos contra-ataques, bater pênaltis e finalizar (quando recebo bolas redondas, e não presentes de grego). Passe e cruzamento também acho que não faço tão mal.

Notas do jogo


Banko (7,5 - Não importa o time, está sempre pronto para defender tudo)
Fellipe (6,75 - Apesar dos três gols, da coletiva, faltou aquele "algo a mais")
Paulinho Evangelista (6,5 - Fez o desjejum de gols, mas a mídia veícula a sua queda de rendimento as saídas na sexta-feira)
Cleber do Diário (7 - Experiência na zaga. Saída de bola com categoria, mas péssima finalização)
Andreis Perone (7,75 - Não tem brinquedo. Joga 101% sério. Não existe bola perdida)
Jorge Jr (7 - Voltou a mostrar o seu bom futebol com gols e defesas)
Daniel Vicente (6,64 - O zagueiro de ofícil, é o Chicão do Boleiros. Só tem que parar de apitar o jogo)
Cleber do HoraSC (6,81 - Há tempos não demonstra o futebol de outrora. Ficou intimidade com a presença da irmã)
Paulinho Scarduelli (6,92 - Rápido feito uma flecha de plástico, mas viaja na saída de bola)
Diego (7 - Apesar dos gols tomados, Diego fez boas defesas, marcou um gol e deu uma bomba no travessão. Estava "endiabrado")
Richard (6,48 - O volante que ainda não se achou. Tem bom passe, mas não precisa driblar)
Silvestre (Estreia. Uma âncora quando defendeu os Bluus, mas um leme quando foi para os Rédis)
Ricardo (6,79 - Atacante brigador, de força física, mas a procura de um companheiro de ataque)
Padilha (6,98 - Chegou-se a definição de que é garçom. Está ali para distribuir a bola e chutar pro gol)
Felipe (6 - Chegou atrasado, demorou a engrenar no jogo e ainda joga com bermuda de surfe)

Ficha Técnica

Os Rédis
Banko (Diego, Paulinho Evangelista e Jorge Jr.); Daniel Vicente, Andreis Perone, Paulinho Scarduelli, Jorge Jr., Paulinho Evangelista e Ricardo.

Os Bluus
Diego (Banko); Cleber do Diário, Padilha, Richard, Cleber do HoraSC, Fellipe, Silvestre e Felipe.

Cervejas: 7 ou 8 Brahmas no veneno.
Salgadinhos: Sem Pingo d'Ouro.
Cachaça: Sem Cleber a Ypioca não é colocada na mesa. Questão de hierarquia.

Crédito de foto
Foto de Patrícia Schmidt
Foto de Jorge Jr
Foto de Guilherme Lira (a do Fellipe), Arquivo Boleiros da Bola

4 comentários:

Paulo Scarduelli disse...

As defesas plásticas do maestro mereciam realmente um capítulo especial. Outro lance que passou sem registro foi um dos gols tomado pelo Diego - aquele em que ele estava ligando pra mãe e esqueceu da trave, levando um gol de tiro de meta.

PS . E eu vou no sábado que vem com a criançada...

Cleber Latrônico Felipe disse...

Agradeço o respeito (Esperidião) Amin dispensado. Acredito que até sábado que vem estarei recuperado.
Também creio que poderei oferecer aquela garrafa de Ypioca Ouro aos amantes da iguaria do melaço canavieiro, para isso, basta o Avaí fazer o dever de visitante contra o desinflamado Botafogo e garantir na ELITE.

Um abraço Paratodos.

Silvestre Lacerda disse...

Não creio que âncora seja o adjetivo apropriado, talvez peso de papel. É que o calor imprudente aqueceu o motor logo no início. Faltou água no radiador. Aí já viu, tive que parar. O retorno nos rédis acredito ter sido satisfatório. Vamos estar tentando melhorar o desempenho na próxima rodada.

PS: Eu vou no sábado que vem com o meu papagaio

Jorge Jr. disse...

AInda bem que o Paulinho lembrou do lance do Diego. Quase que o Eduardo MArtini toma um gol no mesmo estilo contra o Botafogo.