segunda-feira, outubro 12, 2009

De novo? Botafogo 2 x 2 Avaí


Um crime. Aliás, outro crime. Assim dá pra considerar o segundo empate seguido do Avaí. Contra o Palmeiras, na última quinta-feira, o time abriu 2 a 0 no placar e cedeu o empate. Hoje, contra o Botafogo, a história se repetiu. O detalhe é que dessa vez o time foi pro intervalo com dois gols de vantagem. Emerson e William marcaram os gols do Leão, enquanto Victor Simões fez os gols do alvinegro carioca.

Eram, no passado mesmo, mais três pontos e uma considerável subida na tabela, mas o time não conseguiu segurar o resultado. O Botafogo não é o melhor time do campeonato, mas no desespero as coisas acabam dando certo. Exemplo é a vitória do Náutico sobre o líder Palmeiras.

Tirando o Assis, meio apagado na partida, Caio e Uendel, que entraram para substituit Marquinhos e Eltinho, deram conta do recado. Caio foi até mais além, mostrando vontade para assumir uma vaga no time titular. Falta saber quem sai, só isso.

Depois do segundo gol, William foi expulso. Ele que brigou para marcar o seu golzinho, acabou sendo colocado pra fora por reclamar do tendensioso árbitro André Luiz de Freitas Castro. No lance do gol de Emerson o juiz deu uma falta fora da área, sendo que foi escandalosamente dentro dela. Serie pênalti e caberia um amarelo ou vermelho para o Leandro Guerreiro. Fora as faltas invertidas, não dadas e o favorecimento sempre para o time carioca.

O segundo gol do Botafogo foi marcado de forma irregular. Falta de André Lima em cima do zagueiro Emerson, tanto que o Emerson chegou a tocar com a mão na bola.

Amadorismo

O público no Engenhão surpreendeu todo mundo, inclusive o Botafogo. Ficou muita gente na rua, já que foram disponibilizados 30 mil ingressos, todos vendidos, e foram bem mais que isso assistir ao jogo.

Resultado: torcedores do lado de fora, portões abertos para alguns, muita confusão e a clara demonstração do excesso de amadorismo que vive o ex-glorioso futebol carioca.

Crédito de foto
Foto de Ide Gomes, Futura Press
Foto de José Geraldo Azevedo, Justiça Desportiva

Nenhum comentário: