quinta-feira, janeiro 28, 2010

Criciúma ressurge do pó do carvão e empata com o Avaí

Uma vitória fácil, tranquila, estava nas mãos do Avaí. Mas não contava com a expulsão zeromeia Eltinho e a entrada do bom jogador Diego Felipe. O Criciúma, utilizando de seus recursos naturais, saiu do pó do carvão para quase virar o jogo.

O Avaí abriu 2 a 0 com muita tranquilidade. Dois gols do zagueiro Emerson. Até deu pinta de goleada, mas não conseguiu segurar o lanterna, combalido, entregue e sem vontade, Criciúma. O empate com o Leão, sem a menor dúvida, é o combustível que faltava pra queimar a lenha no sul do Estado.

O contraste do primeiro para o segundo tempo me chamou atenção. O time do Criciúma foi para o vestiário sob vaias, muitas. Com o primeiro gol, como se tudo tivesse passado, a torcida foi junto com o time. Não sei qual o público no Heriberto Hülse, mas fizeram a diferença a boa dúzia lá presente.

Sobre o ataque do Avaí, com Jandson e Roberto, só resta lamentar ao técnico Péricles Chamusca. Quatro jogos e nenhum gol. Sem esse papo de atacante que faz pivô, que joga para passar. Atacante tem que fazer é gol. Davi, assim como em 2009, é muito lento, erra tanto quanto irrita.

Nenhum comentário: