sexta-feira, fevereiro 12, 2010

Mariano Trípodi vira ídolo no Metropolitano


Seis jogos, três gols e duas assistências. O gol da vitória sobre o Figueirense e o que abriu a goleada sobre o Atlético-Ib. O argentino Mariano Trípodi, atacante do Metropolitano, da mostras que não foi para Blumenau para a Oktoberfest, mas sim para se tornar ídolo da torcida do Metrô.

Sábado, dia 13, contra o Avaí, Trípodi é o jogador que pode garantir a segunda colocação do Metrô no turno, desde que o Atlético de Ibirama empate ou perca. A defesa avaiana, bem alta, vem falhando na bola aérea, jogada que o argentino aproveita para fazer os seus gols.

O jogador tem vínculo com a Kuniy & W Sports Marketing, que também comanda o futebol do Metropolitano. A chegada do jogador contou com a participações dos patrocinadores do clube, já que ele veio para um clube de menor expressão só para jogar.

Ídolos

O futebol catarinense é carente de ídolos, por isso Trípodi já virou a referência do torcedor no campo. Vou listar alguns que possuem esse status. A maioria é ídolo de ocasião, desses que vem, vence e vai embora. Em negrito está o único ídolo/ídolo, com história no clube, que vai ser lembrado sempre. É uma pena, mas é só um.

Atlético-Ib: Lenílson
Avaí: Sávio
Brusque: Viola
CFZ Imbituba: Felipe Oliveira
Chapecoense: Bruno Cazarine
Criciúma: Nenhum
Figueirense: Fernandes
Joinville: Lima
Juventus: Nenhum
Metropolitano: Trípodi

3 comentários:

Anônimo disse...

Viola ídolo?
Fala sério...

cabau disse...

Caro Jorge Jr,

Acho que você foi superficial demais e utilizou o termo "ídolo" de forma errônea.

De sua lista, talvez só o Fernandes e com boa vontade o Lima, sejam ídolos de seus clubes.

O que você listou foram atletas que no momento atraem mais holofotes por um ou outro motivo.

No caso do Tripodi, o atleta está caindo nas graças da torcida, mas não é ídolo e dificilmente será, já que sua saída após o Catarinense é provável.

João Paulo, Fabinho, Nequinha e Leandrinho são os jogadores mais adorados pela torcida no atual time.

Jorge Jr. disse...

Cabeu, boa leitura. Ídolo é uma palavra forte, mas é a referência da torcida em campo. O João Paulo é um baita goleiro, tem bola para ir mais longe do que o Metrô, mas me parece frio. Ídolo tem que ter uma polêmica.

Em SC só vejo o Fernandes, mais pela história, pq ele é um cara muito quieto. Ídolo bom, desses que gosto, era o Marquinhos, do Avaí. Falador, polêmico e nada cordeirinho.

Valeu, abraço.