sexta-feira, março 26, 2010

Péricles Chamusca e a síndrome dos acréscimos


O Avaí mais uma vez deixou escapar uma vitória nos acréscimos. Primeiro foi em Joinville, na final do turno. Agora foi no clássico. Repito. O Avaí deixou de ganhar do Figueirense.

O árbitro errou? Errou.

Foi escanteio no último lance? Foi. Porque saiu o escanteio? Alguém sabe? A bola do jogo esteve nos pés de um jogador do Avaí, mas ele não soube aproveitar.

Antes da última cobrança, a bola ficou pipocando na área e sobrou para algum jogador, não reconheci quem era, no lado direito da grande área. Ele poderia ter isolado a bola para o meio campo, mas chutou fraco e a bola parou no Willian. Nisso o Willian tocou pra trás, o lance correu e foi para o escanteio fatídico.

Uma bomba para o alto, fazendo todo mundo sair da área, e o Luiz Orlando de Souza apontava para o centro do gramado, decretando a vitória azurra.

O que faltou


Chamusca não mandou o time bater, mas também não mandou o time segurar o jogo. Nenhum jogador do Avaí sentiu cãimbra e nem precisou de água milagrosa quando o jogo já estava nos 40 minutos. Faltou, mesmo que eu não goste, a catimba.

No lance da bomba no gramado, atitude realizada por bandidos, o Emerson Nunes chegou a cair, mas acabou se levantando e o escanteio foi batido. Tirando os fatos isolados, a história é a mesma do gol do Ricardinho na Arena. Faltou malandragem. O Figueirense aproveitou a última chance e fez.

Colocar a culpa inteira na arbitragem, assim como fez o Chamusca, é tirar o dele da reta. Se o Leonardo tivesse marcado no primeiro tempo e o Rafael no segundo, seria 2 a 1, aí teria uma coletiva normal? Ah, mas o Avaí é perseguido, e blá, blá, blá e teoria da conspiração. Nessa conversa, nesse papo, eu não entro e prefiro nem ouvir.

O jogo

Foi um clássico bom, com boas chances de gol para os dois times. Gostei bastante do Zé Carlos, parece que incorporou o espírito do Avaí. Sávio, enquanto jogou, foi o melhor. Foi digno do apelido Diabo Louro.

No Figueira não gostei do Jeovânio, aliás, ele está devendo há bastante tempo. Não era nem para ter terminado o jogo. O Márcio Goiano deveria tirá-lo para evitar uma expulsão. Roberto Firmino foi bem marcado, mas é uma peça diferente na engregagem alvinegra. Sorte do Eduardo Uram que vai fazer uma boa grana com ele.

O 1 a 1 foi justo
. O Ressacada On Fire ficou bonito, a torcida do Figueirense também fez uma grande festa, mas o público, pro clássico, foi pouco. 9 mil e tantos. O horário, terrível, e o trânsito, pior ainda, sem falar no preço do ingresso, contribuiram pra isso.

E nessa empate, que vai render uma boa polêmica por causa da súmula, o Avaí precisa tirar uma única lição. O jogo só termina quando o juiz apita. Ou vai ficar doente com a síndrome dos acréscimos.

Crédito de foto
Foto de Carlos Amorim

9 comentários:

Anônimo disse...

Valeu a pena esperar, hehe.
Li vários blogs hj e pra mim foi a melhor análise do jogo. Jeovânio vem melhorando, mas ainda está devendo. Faltou dizer q Júnior Negrão não tem condições de ser o titular. O Chamusca não dar coletiva no final é um desrespeito com seu próprio torcedor, típico de quem abandonou o clube rebaixado ano passado.

Abraços, Maurício.

Diego Wendhausen Passos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Diego Wendhausen Passos disse...

Juiz tendencioso. O senhor Luis Orlando (Scarpelli) de Souza deveria ter expulsado o Jeovânio, agressão é agressão, tem que expulsar na hora. O Rafael é expulso, e o jogador deles não. Outro ponto é essa Federação irresponsável marcar jogo que não é transmitido pela televisão para as 10 da noite, e o Delfim, que já foi na Ressacada, sabe as dificuldades viárias da região.

Aliás, por que ele permitiu a escalação desse Luis Orlando? Esse árbitro não tem condições de apitar jogos do Avaí.

Por fim, acho que está na hora de o Delfim deixar a presidência da Federação. O que aconteceu na quarta é uma tremenda falta de respeito. Não estou reclamando, mas você ir ao estádio e ver um cara desses apitando para determinada equipe é demais, provocando a irritação dos torcedores.

Espero que a direção do Avaí tome uma atitude, talvez até um rompimento com a Federação.

Felipe Matos disse...

acho que a imprensa está desviando o foco. A reclamação não é se o jogo tinha que ter 1 minuto a mais ou um minuto a menos e sim que 1) não foi escanteio e o bandeirinha marcou tiro de meta; 2) e mais escandaloso, a falta cometida por um montinho de jogadores do figueirense em cima do zé carlos, que foi impossibilitado de sair na bola, inclusive pelo goleiro wlson que saiu do gol apenas com esse propósito, como mostram claramente as imagens.

Felipe Matos disse...

os outros erros foram até erros "normais" na mediocirdade que é a arbitragem, inversões de faltas, a não expulsão de jeovanio por ser pipoqueiro, penaltis em Firmino e em Emerson Nunes com direito a amarelo a emerson nunes (pq se o do Firmino foi, em Emeronsn tb foi...)

Felipe Matos disse...

Fora o gol de Sávio, anulado mesmo com o fato de ter sido um jogador do figueirense a tocar a bola.

Infelizmente não houve até agora nenhuma linha publicada nos jornais impressos sobre os outros erros, muito mais graves a meu ver...resumindo a tudo a um minuto acrescido.

Felipe disse...

Ainda estamos na séria A e eles na B? Então ta tudo certo!!! =)

Amplexosss

PS: mas q arbitragem Catarinense ta de uma qualidade PÉSSIMA isso ninguem pode negar...TODOS os times tem razões pra reclamar!!

Daniel Silva disse...

pô, cara. nem sabia que tinhas blog. muito legal o espaço!

sucesso sempre

www.esteticamusical.blogspot.com

Anônimo disse...

E ninguém caaaaaaala, esse chororôooooo, chora o Zé Carlos, chora o Chamusca, chora o torcedor!!!!!!

Jeovânio tá melhorando a cada jogo!