segunda-feira, abril 05, 2010

O inacreditável rebaixamento da Chapecoense


O empate em 0 a 0 com o Figueirense, por sinal um jogo chato, selou a quada da Associação Chapecoense de Futebol para a Segunda Divisão do Catarinense, ou como prefere a FCF, para a Divisão Especial. O título do post fala em incrível, mas é realmente assustador um time do porte do Verdão ser rebaixado no Estadual.

Ano passado foi vice-campeã Catarinense, conseguiu o acesso à Série C, montou um elenco forte, teve muito apoio dos empresários, a camisa está cheia de patrocinadores, mas alguma(s) peça não funcionou. Importante, o time passou a viajar de avião pelo Estado. Poupou tempo, conseguiu treinar mais, dar conforto aos atletas, mas parece que a noite de Chapecó - que não conheço - foi mais forte que o gramado do Índio Condá.

Hoje, no dia do rebaixamento, a Chapecoense somou o seu oitavo empate. Em 17 partidas, foram apenas três vitórias. Duas a mais que o Juventus. São 15 pontos em 51 disputados (é só inverter o 15).

Foram três treinadores - Mauro Ovelha, Suca e Guilherme Macuglia - que não conseguiram fazer o time jogar um futebol digno do nome dos seus atletas. Não vendo a grosso modo, mas não tinha nenhum cara tão ruim no elenco deste ano. Alguns não renderam? Aí sim. E não foram poucos.

Bruno Cazarine: gastou todos os seus gols em 2009
Rafael Morisco: chegou a ser banco. Excelente jogador, mas não rendeu
Luiz André: foi dispensado na semana passada
Neném: de craque para bagre
Badé: não é o mesmo desde a chegada do Ferdinando nele na final do ano passado

Agora, além de lamentar, é hora de olhar pra frente, encher o peito de orgulho e dizer: fudeu!

Crédito de foto
Foto de Alan Pedro

Nenhum comentário: