quinta-feira, maio 12, 2011

Bastidores da noite de São William na Ressacada

A matéria está no jornal Hora de Santa Catarina desta quinta e no site. A pauta nasceu da necessidade do novo, eis que o tema "santo", por pegar o São Paulo, chegou. A ideia foi em conjunto, mas a pauta não era minha, acabei agarrando depois.

Fui pro Centro atrás de um personagem para ilustrar e bancar a nossa ideia. Não deu outra. Cheguei no Mercado, eu e o fotógrafo Alan Pedro, e um cara com a camisa do Avaí, a da Copa do Brasil, estava indo pegar o ônibus. Abordei-o, falamos do esquema do Silas, da ideia da matéria e, cinco minutos depois, comecei a entrevista. Tinha ganhado o cara.

Como faz parte da oração/matéria, convidei-o para ir na igreja pra posar pra fotos. Deu um migué, mas aceitou. Antes que eu me esqueça, o personagem chama-se Paulo Nilo do Nascimento, 42 anos, e é garçom do restaurante Maurílio, na praia da Joaquina. Mora, dorme, trabalha, come e faz tudo lá. Uma figura. Disse ele que jogou nas categorias de base do Leão (não é o primeiro entrevistado meu que fala isso) na meia-esquerda.

Voltando, fotos tiradas, no que eu achei que seria apenas uma encenação, o Paulo se ajoelhou e estava rezando mesmo, tanto que demorou a levantar. Fiquei surpreso e contente. Por fim, também fui o editor do texto na página. Cortar o nosso texto é mais fácil, mas algumas tiradas tive que excluir. Faz parte.

Avaí x São Paulo, ao vivo

Sobre o jogo, eu estava descrente no Avaí. Não via empolgação nas redes sociais sobre uma classificação. Eu estava bastante pessimista. Estava. Hoje, sinceramente, será mais uma noite de muito trabalho e farei isso feliz se a minha previsão der certo. Ou seja, Leão na semifinal.

Nenhum comentário: