segunda-feira, maio 09, 2011

Criciúma faz 1 a 0 em tudo


A vantagem mudou de lado, mas não é por isso que a Chapecoense, melhor campanha no Catarinense, deve ficar morimbunda num canto. O Tigre, que venceu por 1 a 0, tem condições de ganhar no Índio Condá, mas os últimos jogos falam por si só: o Verdão do Oeste não perdeu nenhum jogo em casa nesta temporada.

O gol de Talles Cunha vai dar um ânimo a mais para a turma do Sul do Estado. Aliás, estreia em final e o Édson Gaúcho já venceu a primeira. Para o próximo domingo, vamos ver se Mauro Ovelha recebe o troféu Vasco da Gama, o de vice eterno (detalhe, sou vascaíno).

O primeiro tempo foi chato, mas a segunda etapa foi digna de uma final (disse isso no @papofc). O Criciúma precisava melhorar o ataque, já que as conclusões das jogadas não levavam aquele perigo ao gol de Rodolpho.

Por outro lado, a Chapecoense tinha um contra-ataque pronto para cada lance, mas faltou qualidade para explorar as grandes brechas que a zaga do Tigre deu. Agora, a semana vai demorar um eternidade para passar, mas vai ser bom. Domingo que vem, de folga ou trabalhando, o jogo é de atenção total para todos aqueles que torcem pelo futebol catarinense.


Post dedicado a @Nirley03, @Luccaborges100 e @Ronny_91, pelo Tigre, e @Neilson09, @badezinho e @SantosAloisio, pela Chapecoense.

Crédito de foto
Foto de João Pedro, Criciúma EC

2 comentários:

Diego Wendhausen Passos disse...

Bem lembrado Jorge. Não podemos esquecer do presidente do Criciúma também, o Antenor Angeloni, vice em 1980, 1981 e 1982, que busca o primeiro título, superado pelo Joinville nas três ocasiões.

O Antenor, pelo que já fez pelo clube do sul do estado, merece levantar o caneco. Ele construiu o caminho para os sucessores, em especial o Moacir Fernandes, que ganhou Copa do Brasil, Série B, Série C e os estaduais em 1986, 1989, 1990, 1991 e 2005.

Jorge Jr. disse...

Boa, Diegol!
Não sabia desse "pé-quentismo" do Antenor. Vale uma pesquisa sobre o assunto.

Abraço