sábado, março 24, 2012

Avaí é o poste mijando no cachorro


O ânimo de assistir um jogo, num sábado de folga, já é quase nulo. Junte isso ao momento do Avaí e o rádio vira o melhor companheiro. Entre cochilos e a papagaiada que adentra as transmissões do FM da Capital, ouvi a derrota para o Camboriú.

Parece que eu já pressentia o pior, já que respondi um e-mail, na sexta-feira, para o Fabio, da Paixão Azurra, dizendo que não estava muito otimista com o jogo com o Camboriú. Não é que acertei?

O clima, agora, é de terra arrasada no Avaí. Se nunca culpei o Ovelha, até porque os jogadores, em três meses, não mostraram a qualidade necessária para dar um suporte positivo ao treinador, acho que dá para colocar na conta dele o mau futebol. É o estilo Celso Roth de quanto mais pra trás e mais volantes melhor. Quanto menos criar perigo para o adversário, ou criar aquelas chances mirradas para se vangloriar na coletiva, melhor.

Assim como o Castija, e vou ter trabalho na edição do Avaí neste domingo, acho que a segunda-feira, dia Exú, de abrir caminhos, vai ser de uma renovação no clube. Se sonhar com rei dá Leão, boto fé em um novo treinador.

Não dá para esquecer

A campanha não é um brinco, mas o Camboriú, pelo andar da carruagem capenga do Marcílio Dias e do Brusque, deve seguir firme para o Catarinense 2013. Time modesto, unicamente para não cair, o dever está sendo cumprido com louvor. E o melhor, tirou ponto do Avaí, um time grande do Estado. O Cambura não é pouca merda, já diria o Diarinho.

Crédito de foto
Foto de Flávio Neves

Nenhum comentário: