quinta-feira, setembro 06, 2012

O segundo ato de Márcio Goiano no Figueirense

No palco do Orlando Scarpelli, onde os visitantes estavam acostumados a dar show para a plateia - sempre acostumada a ficar sentada, sem reação - o técnico Márcio "Cirúrgico" Goiano deu a segunda alegria ao torcedor. No primeiro ato, contra o Flu, uma reação e um empate animador, daqueles de fazer até o ateu adorar Deus. Contra o Corinthians, uma vitória. Simples vitória, 1 a 0, mas vitória, e com direito a cruzamento do Helder, que é quase patrimônio do clube (por tempo e inatividade), para o gol de Caio (cara com muito potencial).

Mais que vencer, a confiança, seja minha ou da massa alvinegra, parece brotar de leve. Se o Goiano errar, e ele pode fazer isso, azar. Mas é mais fácil ele acertar. O Figueirense não vai ganhar de todo mundo, tem muito mais chance de cair do que sair do Z-4, mas e possível planejar um solzinho mixuruca atrás do morro.

Outro fato positivo, além do domínio no primeiro tempo, foi largar a lanterna para o Atlético-GO. Comparo a situação com o jornal. Quando vende pouco, bate um desânimo e tenta-se achar fórmulas (pautas) para reerguê-lo. Quando vende muito - curiosamente é o momento atual da firma - é muito mais fácil trabalhar, pensar e realizar pequenas ações que repercutem muito. É o jogo.

O Figueirense que entra em campo não é espelho do que está acontecendo fora dele. Ainda bem. Ao Goiano, esse artista da bola, dos esquemas táticos e afins, merece o meu aplauso. Mesmo que o circo pegue fogo no final do ano.

Nenhum comentário: