terça-feira, outubro 31, 2017

Neymar no PSG


Neymar no PSG é realidade. Após 12 jogos, 11 gols, uma expulsão e com polêmica toda semana, o camisa 10 do Paris Saint Germain trilha o caminho do protagonismo em uma equipe formada para ser solidária, não só a ele.

O embate pelas penalidades e faltas com Cavani, nesta terça ele bateu a falta que resultou em gol de novo, a possível insatisfação com o técnico e a expulsão ao cair na pilha do rival, mostram um Neymar diferente da época de Barcelona por experimentar algo que ele é na Seleção e era no Santos: a vidraça que recebe as pedradas.

Aguentar as notícias sobre o seu comportamento, nem sempre aprovado por todos, mostram que o craque apresenta um pouco mais de casca. No clube, hoje, a vaidade é o maior adversário, mas ele tem tudo para superar. A campanha do PSG na Liga dos Campeões, com classificação antecipada e jogando bem, é o trunfo para Neymar se tornar a estrela que todo mundo sabe que ele tem condição de ser.

Na Seleção, por outro lado, cobramos o protagonismo dele, mas descemos a lenha no individualismo. O equilíbrio tem que viver do jogador e do técnico Tite, que soube "encantar as serpentes" e tem um grupo na mão.

Nenhum comentário: