segunda-feira, novembro 20, 2017

Figueirense livre da Série C, de novo na Série B


O martírio do Figueirense na Série B acabou na sexta-feira, com o empate do Luverdense com o Guarani — e depois o Figueira também não saiu do zero com o Juventude. Respira aliviado por não descer ao calabouço da Série C, mas precisa recuperar o fôlego para evitar que o vexame desta temporada volte a se repetir.

Brigar pra não cair foi um vergonha, assim como a quantidade de técnicos que o time teve no ano: Marquinhos Santos, Márcio Goiano, Marcelo Cabo, Milton Cruz e o interino Gugu. O ano de 2018 tem que ser desenhado logo, e já começou com a permanência de Cruz no comando.

No grupo de jogadores, a reformulação tem que ser dura, até cruel. Há muitos nomes que não possuem condição para continuar. O mercado começa a abrir agora e é bom se antecipar.

Diretor avaiano no Figueirense

Vitinho Maravalhas, avaiano, é o diretor executivo de planejamento do clube. Nas redes sociais a torcida alvinegra recuperou tuites antigos dele "depreciando" o clube em que hoje ele é empregado, mas tudo num tom de torcedor, normal, e postados em 2012 e 2013.

Para o momento essa polêmica poderia ter sido evitada, tanto por Vitinho quanto pelo clube — fosse apagando os tuites antes ou o Figueira não contratando o profissional. Não se mede competência por clube que se torce, mas a cada dia damos mostras que não estamos preparados para ver um futebol tão profissional assim, como imagina a nova direção alvinegra.

Mas na minha opinião a contratação de Maravalhas, se cumpre todas as necessidades técnicas para a função, deve ser mantida. Não que um pedido de desculpas vá apagar a bronca do torcedor, mas, por mais paixão que o futebol provoque, está na hora de praticarmos a tolerância.

Nenhum comentário: