Primeiro clássico do ano levou 12 mil ao Scarpelli


Figueirense e Avaí fizeram um jogo muito parecido, por isso empataram, é claro. A começar pelos gols. Ambos sairam do mesmo canto de escanteio, foram de cabeça e no início de cada tempo. Bruno Perone abriu o placar e Rafael Costa empatou.

Eu gostei muito do que o Silas fez. Tem certas horas que segurar escalação e apresentar novidades causam impacto. Tá certo que não foi tão bom porque a vitória
não veio, mas acredito que tenha dado certo.

Ninguém, pode ser que um outro, esperava que o Válber viesse como titular. Eu até achava que a lesão do Evando era migué, mas veio com o Válber e ele jogou bem, assim como Marquinhos que voltou e jogou com a camisa 10. Na Série B ele jogava com a 7. Uma coisa não dá pra negar, o amarelo joga muita bola.

Pedrinho tinha a missão de ser o melhor do Figueirense em campo, mas esteve muito bem marcado e pouco produziu. O Pintado e a torcida reclamaram de um pênalti do Turatto em cima do Pedrinho. Analisando o lance não dá pra marcar com convicção.

Foi um bom jogo e um resultado ruim para o Figueira e meia-boca para o Avaí.

Crédito de foto
Foto do site oficial do Figueirense