...já dá pra pensar em não subir. Estava tão perto, tão perto, que agora são cinco pontos o abismo do Figueirense na Série B. Perder para o América-RN, na bacia das almas, só confirmou uma coisa: o Figueira foi freguês do Mecão. Perdeu as duas neste ano.

Hoje, dia 11, faz um ano que o Avaí conseguiu o seu tão sonhado acesso. Parece piada, mas não é. O Figueira, pelas contas que fiz no post da vitória sobre o Campinense, poderia comemorar o seu acesso também hoje.

Ouvi o Maradona dizer uma vez que os argentinos têm colhões. No manezês é culhão. Isso faltou para o Figueirense na partida contra o América-RN, na queda do Roberto Fernandes e em todos os momentos de crise. Ninguém bateu na mesa e disse: vamo subir, porra! O máximo que deve ter saído foi um: voltaremos.

Não é por aí. O Castiel manda um "Desculpa aí, foi mal". É como parece mesmo o time. Acanhado, com medo, respeitando muito.

Eu só queria ter colocado o Wilson no Cartola. Pegou tudo, inclusive com o olho, já que foram 130 bolas na trave. A rapaziada da imprensa, Faraco e Semensati, levantaram a bola pro Edson nem ter viajado com o time.

O D'ivanenko, antes do jogo, disse que foi uma decisão técnica. Ok. No final do jogo, com bastante emoção e reafirmando que acredita no acesso, o técnico Márcio Araújo falou que o zagueiro não viajou por motivo de indisciplina.

Alguém nessa discussão está faltando com a verdade. Climão, briga interna de egos, faltando três rodadas pra terminar a Série B? A semana será mais negra do que alvi.