Viola, que ironicamente diz estar perto dos mil gols, marcou duas vezes para o Brusque. Cris fez dois e Lima fez um na vitória por 3 a 2 do Joinville, mas parece que isso é o de menos. A arbitragem de Luiz Orlando de Souza, já cinquentão, foi uma vergonha.

Nenhum dos times saiu sem falar no árbitro, para ver o nível do jogo. O Brusque foi pra cima, mas o Luiz Orlando segurou o time da casa e o visitante também. Como se diz na gíria: colocou no bolso.

A reclamação é pelo grande número de faltas para o JEC e quase nenhuma para o Brusque. Tocar no Lima era falta, mas no Têti, na entrada na área, era lance normal. Ele ainda expulsou o Paulinho Dias, do JEC, por engano. Quem tinha feito a falta era o zagueiro Lacerda. O pênalti que fez Viola marcar o segundo, na imagem da TV, não foi nada.

Uma pena a arbitragem, já que Viola deu show, mostrou ser o cara do Catarinense 2010 e, principalmente para o Brusque, se mostra fundamental para o time. Não é qualquer atacante que dá o drible da vaca para trás.

Crédito de foto
Foto de Glaicon Covre