A maioria da torcida na Arena era do JEC, mas foi a do Avaí que cantou mais alto, comemorou mais gols e ainda soltou "o campeão voltou". O Leão bateu um adversário sem alma de final, sem entrega - melhor - entregue e sem a menor vibração. Mais uma vez, coincidentemente é o Avaí, o futebol foi justo.

Uma mão na taça e meia. O Joinville pode mudar radicalmente de mentalidade e golear o Leão na Ressacada, mas a probalidade disso acontecer é a mesma do Roberto acertar no gol todos os chutes dele durante um jogo. Zero. O resultado da enquete (está ali ainda) foi bem como o resultado dela.

Mauro Ovelha, quase um vice convicto, vai ter que usar de todos os meios possíveis para motivar e armar um time que tenha condições de bater o Avaí. Tarefa fácil? Não, nem um pouco. Domingo que vem, vou até escalar aqui, essa galera vai fazer a festa: Alexandre Gonçalves, minha mãe, meu pai, Wanessa, Natália, Guto, Fejaum, Seu Cunha, Felipinho, Felipe Matos, Marina, Fonseca, Tio Guto, Dinda, Banko, Mari e muitos outros avaianos que frenquentam este espaço.

PS: Fiz um texto sobre o jogo do Rudnei. Clique aqui e leia.

PS 2: e amanhã a minha visão sobre o Volta à Ilha.

Crédito de foto
Foto de Flávio Neves