Não deu. Era mais fácil ter vencido no campo, com um golzinho o time subiria para a Série C, mas não foi assim. Empatou, em casa, e viu o glorioso América-AM ficar com a vaga. A esperança estava no tribunal, esse que se diz fazer justiça.

O time amazonense atuou com um jogador irregular, não tinha nem o que contestar, mas os auditores empataram os votos em 2 a 2. Com a igualidade, o réu, o América, foi considerado inocente.

Estava errado? Estava. Porém, na minha avaliação, não sei se um jogador irregular é passível de anular um resultado, vide os exemplos de jogadores dopados. O time, quando vence, perde ponto? Não. Agora, o time ficar sem punição, aí sim isso é um crime. Passar batido, como se nada fosse nada, nos dá a imensa margem de pensar, e ver, que não vivemos num país sério.

Finalizando, bem feito para o Joinville Esporte Clube. Poderia ter subido sem passar a vergonha de buscar a vaga no tribunal. Vergonha, porque não conseguiu reverter a seu favor uma causa, que dependendo do advogado, poderia ser ganha.

Deveria ter vencido em casa. Só isso.