O que poderia ser a primeira vitória fora de casa, se o Figueirense fosse menos "cauteloso", acabou se tornando uma goleada de 3 a 0 a favor do Coritiba. O sinal de alerta, nos jogos fora do Scarpelli, está mais do que ligado.

As mudanças de Jorginho deram resultado, mas em partes. Rhayner correu mais do que o Fernandes durante todo o ano, mas não deu uma bola para Héber e Aloisio chutarem pro gol. Nem o próprio Rhayner arriscou uma jogada mais aguda. Foi o dia em que todos ficaram um pouco abaixo da média, parecendo o jogo contra o Inter.

Não tem o que falar dos gols. O primeiro, do zagueirão Emerson, a defesa deixou a bola chegar na cabeça dele, que pouco pulou para marcar. O golaço de Léo Gago não tem o que falar. Que bucha! O terceiro foi uma falha coletiva, que não teve atenção no rebote.

Maicon foi discreto, Túlio e Ygor não podem sair jogando, mesmo que em alguns jogos eles façam bons lançamentos e não errem passes. Exceção não pode virar regra. Jorginho começa a demonstrar os sinais de teimosia de Silas e Dunga. Outra, na coletiva ele provou que eu e todos os que acompanharam a sua entrevistas não entendem nada de futebol.