Deu pra bolha, o simulador do clicEsportes e GloboEsporte vai perder a audiência dos avaianos. A tarrafa foi pro fundo com fieira, chumbo e um cardume de tainha. A derrota por 2 a 1 diante do Ceará foi o último suspiro, talvez até de alívio, para que 2011 chegue logo ao fim.

A regularidade impressionante do Avaí, 33 rodadas na zona de rebaixamento, deve ser alvo de estudo. O recorde de 38 rodadas na bacia das almas, acredito, vale a pesquisa, não foi batido por ninguém ainda.

A semana será dura para o torcedor, mas acredito que a maioria, por bem ou por mal, já esperava por isso. A queda foi inevitável, mas o time não pode "querer" trilhar o caminho de Santa Cruz e Juventude, que foram até o poço mais fundo.

Se terminar dignamente o Brasileirão é vencer, ao menos, dois jogos - querendo muito - que se matem com os que devem permanecer em 2012, com a gurizada da base, pessoal que não teve oportunidade nenhuma e, se as coisas continuarem do jeito que estão, também não jogará em 2012.

Trocar presidente? Não acho que seja a solução. Porém, uma gestão profissional, sem paixão, precisa entrar com tudo no time. O exemplo disso está do outro lado da ponte.

Dúvida

Evando volta em 2012?

Crédito de foto
Foto de Frederico Tadeu/Avaí FC