Que baile, apesar dos primeiros dois minutos do Marcílio Dias enganarem, o Figueirense logo tomou as rédias do jogo e fez, a seu modo, o jogo que queria. Se forçasse, sem brincadeira, cabia seis ou oito. Ficou barato os 4 a 0. Assim como no início do turno, o Furacão é candidatíssimo ao título do returno.

O técnico Branco está numa fase de sorte, e também me parece competência, porque toda mudança que ele faz dá certo. Escalou o Botti, gol! Trocou o Helder pelo Guilherme Santos, gol! Colocou o Léo no lugar do Pablo, não teve gol contra. Enquanto o time corresponde em campo, está faltando o respaldo da torcida.

Por outro lado, apesar de sempre fazer camisas bonitas - não é o que aconteceu neste ano -, o Marcílio Dias está quase pronto para começar o projeto Divisão Especial (Segundona).