Uma derrota por 3 a 0 e R$ 2 milhões que deixam de entrar na conta. Normal. O Figueirense tentou competir contra um Fluminense que vive de competir e está em um nível realmente bem acima do Furacão. Vimos isso nas finais do Carioca e é possível perceber no Brasileirão. O Flu compete muito. Além disso, é mais time que o Figueira. 

Fora isso, Nenê está mais adulto que o Ney e vive uma fase bem acima do que de espera. Fez os três gols do jogo, sendo o de falta uma verdadeira bucha. O segundo teve desvio e o terceiro, pra mim, foi em um pênalti que não existiu. Mas ali a Inês já era morta.

O Figueirense teve uma boa chance com Marquinho, no início do segundo tempo, mas Muriel pegou. Por sinal, todo mundo espera do camisa 10 alvinegro que ele tenha atuações e seja o líder do time assim como Nenê é do Flu, mas nem de longe é isso que estamos vendo.

É uma derrota pesada no bolso, esse dinheiro da Copa do Brasil seria importante  demais para o clube, mas não dá para achar culpado ou criticar demais a equipe. O nível era diferente.

Agora, é esperado que o técnico Márcio Coelho faça a equipe, principalmente o setor ofensivo, ter mais variações e jogue mais perto. Falta ideia ali. O ano está na Série B.

Crédito de foto
Lucas Merçon/FFC