Imagem

A última vez que um torcedor mais exaltado havia invadido o Scarpelli ele levou uma bica na cabeça do Bruno Silva. Mas agora foi em bando, uma gangue, gente minimamente organizada e orquestrada para levar terror aos jogadores e demais funcionários. É horrível e nada, nada, nada, nada justifica a ação planejada contra profissionais de uma instituição quase centenária.

Torcedores? São, sim. É comum a gente dizer que não, mas são. Os piores, claro, certamente os que chamam os árbitros e bandeiras negros de macaco, que xingam as bandeirinhas mulheres de puta e vadia. Eu não tenho dúvida.

E são os cordeiros de Deus, cidadãos de bem que agem de acordo com um "bem comum", só na cabeça deles, de que é na dor que se corrige uma direção. Sabe o pior? Não são poucos e é bem capaz da gente conhecer alguns deles. Sério mesmo.

A gente já está convivendo com extremismos políticos, de esquerda e de direita, com o negacionismo ganhando adeptos e se espalhando de forma desanimadora. Dá uma tristeza imaginar que isso vai demorar a passar, se é que vai. 

Voltando, polícia e prisão para a quadrilha que invadiu e aterrorizou todo o grupo. O time, que já vai mal demais das pernas, tende a piorar cada vez mais. A Série B é pra não cair, nada além disso, e o Figueira é um dos fortes candidatos a ter os jogos transmitidos pelo Dazn ano que vem. 

E se eles acham que invasão dá resultado, e é terrível ler os comentários nos posts feitos pelos atletas e pela nutricionista Cintia Carvalho, já fica o aviso de que não funciona. A julgar pela campanha, vão invadir todos os treinos até fevereiro de 2021.